quinta-feira, 13 de agosto de 2015

(BEDA) Querida Gabriela, 13/31

Eu não tenho nada para oferecer agora. Estou em uma frágil posição onde tudo que direi você já sabe, então como podemos levar adiante essa conversa?
Eu estou ansiosa e quero te encher de perguntas, mas acho que você vai rir da minha cara, porque a gente tem esse costume. A gente ri da nossa cara e vai levando a vida.

Onde a vida levou você?
Onde você está agora? Na nossa casa, no nosso trabalho, em algum lugar exótico, em algum país diferente? 

Na verdade não importa muito onde você está, contanto que esteja bem. Digo emocionalmente, sabe? A gente tem um emocional perturbado e eu digo para mim todos os dias que a gente precisa se acalmar, caso contrário vamos ficar loucas de verdade. Espero que você tenha conseguido ficar tranquila, superar alguns medos que agora, nos meus 24, não me deixam ir para frente. Você está bem mais velha do que eu, mas espero que não tenha mais medo de morrer. Um dia a gente tem que superar isso. Diga que superamos, por favor.

Como está a nossa família? Eu sei que na sua idade nós já passamos por novas despedidas. Foi a vó? Foi a nossa mãe? Quer saber, deixa essa pergunta pra lá, não estou preparada para saber a resposta, basta dizer que estão todos bem.

Quem está do seu lado? É o Flávio? Ele é o cara certo, sabia? Espero que saiba...

Eu faço muita força, todos os dias, para não ficar tentando adivinhar como você é, qual sua aparência e o que faz da vida, mas a verdade é que se eu pudesse dar uma olhada no futuro eu dava. E isso é uma coisa que sei que sempre teremos, não adianta negar.

Do fundo do meu coração eu só espero que você esteja bem de saúde, que tenha se cuidado mais ao longo desses anos e que esteja feliz onde e com quem quer que esteja.

Meu deus, eu realmente espero que você esteja viva!

(Viu como temos que superar esse medo? Me ajuda)

Com amor, 
Eu (você, nós)



9 comentários:

  1. Querida Gabriela,

    Eu espero que você supere o medo de morrer e ensine a a Ana do futuro, caso ela não saiba e, espero MESMO que ela esteja viva. PELOAMORDEDEUS, no fundo, é só o que espero mesmo. HAAHHAHAA
    Espero que você esteja sendo bastante feliz, onde quer que seja e que continue a fazer ilustrações, SÉRIO.

    Com amor,
    Ana Flávia do presente. ♥

    ResponderExcluir
  2. Ai não sei como tu consegue fazer uma carta pra ti mesma no futuro. Serião. Me da crise de ansiedade pensar nisso... e olha que me considero uma pessoa normal. Mas espero do fundo do meu toiatão que tu esteja viva, que todos nós estejamos. Inclusive o mundo!

    <3

    ResponderExcluir
  3. Amiga,
    sabe que eu sempre fico pensando isso? Digo, se quando a gente vai crescendo e envelhecendo a gente perde devagarinho o medo de morrer? Porque fiquei pensando no meu vôzinho lá no hospital, com 92 anos, e rezando pra ele não estar com medo. Porque se fosse eu eu estaria COMPLETAMENTE APAVORADA, sabe? E eu queria arrancar esse medo dele, se ele estivesse sentindo. Espero que a gente vá se acostumando com a ideia e perdendo mesmo.
    E: assim como a querida carolirala espero que você esteja viva (PFVR ESTEJA VIVA), que a mãe esteja viva e a vó também! <3

    Te amo! <3

    ResponderExcluir
  4. Um dia quero ter forças pra fazer uma carta dessas, coloco tanta expectativa no meu futuro que acho melhor deixar a ideia quieta
    Sobre o medo da morte: tenho isso quando penso em envelhecer, só de me imaginar idosa me da uma falta de ar e MELDELS NAUM

    Novembro Inconstante

    ResponderExcluir
  5. ~te indiquei pra uma tag~
    http://novembroinconstante.blogspot.com.br/2015/08/tag-se-eu-fosse-voce.html

    ResponderExcluir
  6. Ai amiga, fiquei tão mexida com sua carta. Acho que isso é o mais legal: a gente se identifica. Você escreve sobre você, pra você, mas podia ser pra mim também e isso é muito legal, de verdade, porque, de uma forma ou de outra, faz com que eu me sinta menos sozinha no mundo. No seu caso é ainda mais forte, porque a gente tem medos muito parecidos, e a gente bem sabe como é difícil lidar com isso. Mas não é assustador também que a gente se identifique tanto?
    Tenho fé que a Iralinha de 34 vai ser incrível, não vai ter tantos medos, vai estar feliz e realizada, assim como eu espero que esteja também. Que a vida seja gentil com a gente.

    te amo muito, meu amor <3

    ResponderExcluir
  7. Amiga do céu, costumo dizer que não tenho medo de morrer, e acho que não tenho mesmo, pelo menos não na maior parte do tempo. Mas aí esse final da sua carta acabou comigo?? MEU DEUS TANTOS PLANOS E SE EU NÃO ESTIVER VIVA ATÉ LÁ?

    Falei no post da Sharon que a gente só tem mesmo que torcer estar feliz, independente de onde, como, por que e com quem, mas agora tô achando que só de estar viva estarei no lucro. E você também, por favor.
    te amo! <3

    ResponderExcluir
  8. Estamos juntas, Gab. Eu tenho medo da morte hoje em dia, tenho muito medo. Mas quando começo a colocar em perspectiva, coloco em comparação com a minha cidade, meu estado, meu país, o mundo... Eu percebo que só sou poeira cósmica, mas apesar de ser poeira cósmica eu sinto um milhão de coisas. Então eu posso ser nada pro universo, mas eu sou um universo em particular. E eu tenho medo.
    Espero que você esteja bem, daqui 10 anos.
    Beijos!

    ResponderExcluir
  9. Ai, amiga. Leio todas as nossas cartas e a única coisa que eu consigo pensar em comentar sempre é: vai ficar tudo bem. Sei que parece muito pretensioso da minha parte achar que eu posso garantir isso pra vocês, mas é uma certeza que eu tenho aqui dentro (acabei de comentar no seu texto de amanhã RISOS que tenho esse otimismo trouxa, né?). Mas é que pra mim, mesmo quando não tá tudo tão bem, tá tudo bem também. Você acha que eu devo escrever sobre isso?

    Enfim, voltando ao assunto. Você vai estar viva, a gente sabe disso. E rodeada de gente que te ama, incluindo eu. E o resto a gente ajeita.

    Te amo muito.

    ResponderExcluir