domingo, 20 de outubro de 2013

Teoria furada

Eu tenho uma teoria.
Quanto mais coisa temos que fazer, melhor as fazemos. Ou pelo menos, mais rápido.
Tenho notado, nessa vida de minhas retinas tão fatigadas, que quando estamos sem tempo para nada, passando por aquela semana mais cheia, difícil e estressante do ano inteiro, a procrastinação, ela não aparece. Não dá! Não tem espaço para ela. Se não conseguimos parar nem um segundo para um café decente, imagina para procrastinar. Acabamos, então, por fazer as coisas na hora que elas tem de serem feitas, e por consequência, as fazemos bem feitas. Isso é ótimo, não é?
Seria, se eu não sentisse falta.
Eu sinto falta de procrastinar. Esse verbo, essa palavra que é tão boa de falar, talvez uma das minhas palavras preferidas... 
Por que se eu procrastinava é porque eu tinha tempo. E eu procrastinava. Adoidado. Deixava tudo para última hora, fazia as coisas de qualquer jeito porque o melhor mesmo era ficar na internet pesquisando qualquer coisa no google, atualizando o facebook, sei lá.

E agora, cá estou, nas últimas horas de um domingo endomingado, que é o que me resta, para reclamar que a procrastinação, ela faz falta.


2 comentários:

  1. Nem me fala! Sou a favor de um mundo onde eu possa procrastinar assim, só um tiquinho a mais!

    ResponderExcluir
  2. Concordo com você. E o brasileiro tem esse costume de deixar tudo para a última hora.

    jj-jovemjornalista.com

    ResponderExcluir