sexta-feira, 7 de dezembro de 2012

"Always look on the bright side of death." Não.

Eu ia postar um texto do Charles Chaplin que simplifica muito bem o que eu penso sobre a morte, mas eu estou cansada de falar dela e, principalmente, estou cansada de sentir medo dela.

Para dizer a verdade eu não sei mais o que pensar sobre isso. Talvez morrer não seja tão ruim, no final das contas. Talvez seja pior do que eu imagino. Não sei, mas eu ainda não quero saber.

Eu fico anestesiada quando a morte chega perto de mim. E quando leva alguém que eu amo, fico adormecida. Parece que estou num pesadelo e que é difícil de acordar. Também não consigo chorar. Não na hora pelo menos. Não sei o motivo, simplesmente as lágrimas não chegam aos meus olhos. E depois é muito pior, sabe? Guardo a tristeza e quando finalmente acordo, desabo.

Só sei de uma coisa: nunca vou me acostumar. Nunca vai parecer normal para mim.

                  
Me sentindo exatamente assim

8 comentários:

  1. óóun. queria poder te dar um abraço agora.
    Chora o que tiver que chora, alivia o aperto.
    E lembra: nada como um dia após o outro! :)


    ResponderExcluir
  2. Nunca vai ser normal, flor. Por mais que, no fim das contas, seja a coisa mais normal do mundo. Pra mim é e sempre vai ser a maior piada de mau gosto do mundo. Porque você está lá, sentindo o cheiro da vida, e recheada de alma, e de repente, pluft. Some tudo. Pra onde isso vai? Pra algum lugar, certamente. Como diz minha amiga, mãe, e brilhante mestre, Airen: "Um dia morrerei, e então, estarei fervendo a alminha, bem serelepe, em algum lugar, não tenha dúvidas". A gente é que tem que tentar aprender a lidar com o "não-lidável". Meus abraços apertados, recheados de carinho e de força.
    <3

    ResponderExcluir
  3. É, deve ser uma dor imensa mesmo. E nunca estamos prontos. Talvez nunca estaremos. Mas saber que tem pessoas que nos amam do lado é sim, reconfortante.

    ResponderExcluir
  4. Nunca é normal porque dói demais e te tira de órbita. Faz a vida parecer cada vez mais frágil, o que é absurdamente assustador. E as cicatrizes ficam, mas a gente acaba conseguindo se conformar. Porque quando a gente pensa a respeito, sempre dói. A única saída é se conformar. Te amo muito <3 Muita saudade de ti!

    ResponderExcluir
  5. ta ai algo que prefiro não pensar, só viver mesmo enquanto puder. Pensar em algo assim me deixa louca, assusta realmente então... praque viver na preocupação né?

    ResponderExcluir
  6. Um dos maiores erros da humanidade (e talvez, em parte, isso seja culpa do catolicismo que imperou e muito por muito tempo) é esse de temer a morte. Não tenho religião, mas sou adepta do espiritismo. Por essa via, me consolei com o fato de que a morte é necessária - significa acensão para o espírito. Tento me firmar nisso. Afinal, não resta outro jeito a não ser aceitar a morte.
    Abraços.

    ResponderExcluir
  7. Gabi,
    Pensar na morte também me assusta bastante. Esses dias, em particular, pensei bastante nela. Sinto tanto medo que procuro deixar de lado, aproveitar o agora, que é minha única certeza. Espero, minha amiga, que seu coração encontre conforto muito em breve. Estamos todas contigo <3

    Beijos!

    ResponderExcluir
  8. Eu não sinto muito medo da morte como você, na verdade, fico imaginando que o momento deve ser muito angustiante, então claro que dá medo. Mas acho que o que tenho mesmo é trauma. Foram 4 mortes de pessoas próximas na minha família, em 4 anos, incluindo meu pai. Então eu já tenho pavor de velório, se eu puder evitar ao máximo participar, é o que faço. O medo maior é esse...das pessoas próximas morrerem. Dói demais. :~

    Beijos

    ResponderExcluir