quarta-feira, 7 de novembro de 2012

[não tem título hoje]

Eu sei que esse é um assunto super batido aqui no blog, mas enquanto esse for o assunto sobre o qual eu mais falo e mais penso, eu vou continuar passando para cá.
Sim, é sobre a morte mesmo.
Meus pais são espíritas. Eu me considero sem religião, mas concordo e aceito várias coisas que vêm do espiritismo.
Hoje estávamos jantando e me surgiram dúvidas. Na verdade, as dúvidas estão sempre comigo, mas resolvi expor para ver se acho uma resposta decente.
Levando em conta que o espiritismo crê em vida pós a morte [e eu também creio, graças], minha perguntas foram tipo "Que tipo de música encontramos lá?" "Onde é o tal lá?" "Pode-se ler Bukowski?" "Podemos usar roupas coloridas?", entre outras.
Mas aí no meio da enxurrada de questionamentos, quis tirar de mim a minha maior dúvida sobre a morte, que é: Dói? Nós sentimos morrer?

Por exemplo, uma pessoa que está sofrendo, acamada, em estado terminal. Na hora, no exato momento em que ela morre, ela tem consciência disso? A pessoa sabe que ta morrendo, ou é só um sono enorme que dá e tu acha que vai dar uma cochilada, mas opa, morri?
Porque assim, eu não quero morrer [jura?], tenho medo e sei que se não tratar isso vou ter medo até quando for bem velhinha. Se eu tiver consciência de que minha hora chegou, se eu tiver um momento "vejo a luz", eu vou me desesperar, vou gritar se tiver forças, vai ser uma tragédia, sabe? 
Prefiro que eu não saiba que estou prestes a falecer. Quero achar que vou tirar uma soneca para acordar daqui a pouco e continuar meu tricô, entendem?

Claro que se eu morrer em um acidente de carro, por exemplo, eu nem vou saber o que me atingiu, então ok...

Nossa que papo mórbido. 
Mas vocês não tem essas dúvidas, não? Como vocês acham que vai ser o fatídico momento?

5 comentários:

  1. Gab, flor, sabe que eu também vivo matutando essa dúvida? Às vezes eu encarno na suspeita de que na hora do seu momento terminal, a alma já foi! Tipo, que a gente não sente a dor do fim, sabe? Mas que a alma já está tomando seu destino, enquanto o "corpo", com um "restinho" de vida se vira pra acabar. Sei lá. HAHAHA.
    Beijo!

    ResponderExcluir
  2. só pra constar, pois enquanto estamos aqui em cima temos que viver os prazeres da carne, mas sempre nos preparando para entender as vertentes do espírito, que são muito maiores e definitivas: a janta estava ótima!!!!

    ResponderExcluir
  3. Gab, não acho que morrer dói não. Pra mim, a morte é uma libertação, então quando acontece, como a Analu falou, você já não tá mais no seu corpo. Fica tranquila que vai ser massa.
    hahahaha
    beijos

    ResponderExcluir
  4. Concordo com as meninas aí em cima. É tudo muito pacífico, na minha opinião. Quando estive no mais próximo que cheguei da morte - num coma - eu só dormia, dormia, dormia. Claro que era por efeito dos medicamentos, mas creio que seja bem assim na morte, sim. Tranquilo como dormir, só que sem acordar. Ou acordar num lugar diferente.
    By the way, sou espírita também. =)

    Beijos, Gab!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Acredito muito nisso de acordar num lugar diferente. Na verdade é isso que me acalma, acreditar que vou acordar de novo. :)

      Excluir