sábado, 27 de outubro de 2012

"It's a constant battle."

Ando meio sem vontade de escrever. Acho que é porque eu passo todos meus dias escrevendo. Planos de aula, atividades para os alunos, trabalhos de faculdade, etc.

Mas aí quando eu posso escrever qualquer coisa que me de na telha, minha cabeça esvazia e nada de bom me vem em mente.

E isso é horrível, porque sabe, eu ainda tenho aquele sonho meio infantil de mudar o mundo através das minhas palavras, ou se isso for muito grande, fazer alguém gostar de mim pelas coisas que eu escrevo. Um dia eu quero viver e me sustentar exclusivamente pelas coisas que eu coloco no papel. É querer demais?

Só que eu sei que muito provavelmente eu vou passar minha vida sendo professora e vou passar minha vida escrevendo coisas obrigatórias e vou passar minha vida tendo fases de cabeça-oca. E assim vai...

E às vezes [quase sempre] eu me sinto muito para baixo, pensando que nunca vou escrever algo realmente bom e aí para me torturar eu olho arquivos antigos e antigas histórias esquecidas no fundo da gaveta...e só consigo pensar que aquilo ali não está como eu gostaria.
Eu não acho que escrevo bem e  meu vocabulário é super limitado, mas não porque não conheço as palavras, é só que às vezes eu não sinto vontade de colocá-las nos meus textos, não faz meu estilo palavas muito rebuscadas. Sou dada à palavras simples, do cotidiano. Mas aí fica uma coisa meio pobre. Pelo menos é como eu vejo.

Mas claro que, partindo do ponto de que eu acho um cocô [ó o vocabulário limitado aí!] tudo que eu faço, escrever é só mais uma dessas coisas.

Acontece que escrever para mim é o mais importante. É o que me mantém a salvo do mundo real. É o que me mantém a salvo da minha própria mente e escrever bem é o mínimo que eu deveria fazer. É quase uma obrigação!

Sei que me cobro demais em algumas coisas [quase tudo], mas poucas coisas me deixam tão chateada quanto não gostar do que escrevo.

Aliás, odiei esse texto.

Ah TPM, porque me enlouquece tanto??



5 comentários:

  1. A culpa disso tudo é do Sistema e do Governo, que quer professores desmotivados e mal pagos, resultando em alunos ignorantes, pouco conteúdo, falta de interesse em inovar e pesquisar.

    ResponderExcluir
  2. Iralinha, também tô passando por essa fase. Ando sem inspiração e vontade de escrever, com a cabeça cansada. Se te consola, vivo tendo essas marés ruins, e uma hora elas passam. Elas sempre passam.
    =)

    ResponderExcluir
  3. Se escrever te faz bem, escreva. Não por vaidade, mas porque faz bem, entende? Como você já faz... Garanto que pra alguém suas palavras fazem sentido, afinal, você tem leitores aqui! E como a Anna disse acima, essas fases ruins todos temos. É normal. Apenas não desista do que gosta. :)

    ResponderExcluir
  4. Sei como é isso... Sinto ( e penso ) essas coisas em relação ao meu blog e em relação ao meu diário particular. É como se as palavras só quisessem ficar dentro da boca e ás vezes é como se a cabeça ficasse vazia de tudo. Até que você explicou bem essa situação, eu não consigo explicar nem prá mim o que acontece comigo. É só uma fase, vai passar. Bj Lana

    ResponderExcluir
  5. Assim como você e Annoca, também passo por essas fases. E sonho em viver do que eu escrevo também, mas é só um sonho ainda.
    Ainda assim, Gabi, escreva! Qualquer coisa, mas escreva. Se é o que te deixa feliz, não importa a maneira como escreverá...

    Beijos

    ResponderExcluir