segunda-feira, 29 de outubro de 2012

A poesia está nos olhos de quem vê.


Eu sou dessas que vê poesia e delicadeza em quase tudo. Pelo menos eu tento.
Por exemplo, hoje está uma calor dos diabos e ao mesmo tempo chovendo. O calor não amenizou nem um pouco com essa gotas que insistem em cair e para completar hoje é segunda feira. Uma segunda feira com cara de segunda feira. Daquelas.
Não vejo graça. Nada disso é poético, bonito ou merece minha atenção.
Mas aí eu olhei para janela agora, só para ver quão ruim o tempo está, e me deparo com uma formiguinha, muito inha, carregando um folhão, muito ão. Pronto, ta aí a beleza do dia.
Essa formiga não está nem aí para o tempo, calor, e nem sabe o que é segunda feira, ela só quer levar esse folhão para casa e ganhar olhares invejosos das colegas. 

Há alguns meses eu fiz uma viagem com meu namorado. Fomos parar em um lugar a céu aberto lindíssimo onde conhecemos uma mina de pedras preciosas. Nesse lugar, que eu acredito ser uma fazenda ou algo assim, tinha um lago. Neste lago tinha um barco pequeno amarrado na pontezinha. O barco estava todo enferrujado, uma parte já afogada na água e o vento fazia ele se mexer de leve, formando pequenas ondinhas no lago. 
Não preciso dizer nada, né? Só almas pequenas não verão a poesia dessa cena, gente.
Precisei tirar uma foto para guardar comigo.

"um barquinho, um violão"

Subimos a pontezinha e ao longo do corrimão dela, me deparei com um "lampião", um postezinho, uma coisinha de luz, não sei, completamente enferrujada, com teias de aranha e com cara de que há muito não via luz artificial vinda de uma lâmpada.
Gente, mais uma foto da poesia, por favor.


Meu namorado riu da minha cara, mas se esforçou para tirar uma foto decente usando minha máquina nem tão decente assim. Acho que ele também tem uma alma bonita e poética dentro dele.

É importante não perdemos o olhar poético sobre as coisas, mesmo que a gente pense que já vimos de tudo na vida. Nem tudo que é olhado é visto, nem tudo que é visto é olhado...Ah! Vocês me entenderam.

Nem tudo é tão feio que não tenha poesia. 





5 comentários:

  1. Ai Gab, que linda você! Eu confesso que, para ver poesia em tudo, eu preciso estar em um dia extremamente inspirado.. Geralmente estarei xingando a segunda-feira. Ainda mais se estiver chovendo! Que lindo você ser assim! *_*
    Tinha que ser um amor-de-Gab!
    Beijo!!

    ResponderExcluir
  2. Só o momento no qual você viveu, já se tornou uma poesia... Adorei sua sensibilidade exposta nesse texto, e as fotos: ficaram simplesmente lindas!
    Att.,
    Luks

    ResponderExcluir
  3. Eu super apoio a descoberta da beleza das coisas. Eu adoro fazer isso. Ter a visão, a imaginação, a criatividade e ir além do que vê...é um 'trabalho' bem legal de ser feito e de praticar para levar no dia a dia. Aprender com o que vê, além do que vê. :) [acho que deu pra entender] xD



    ResponderExcluir
  4. Finalmente encontrei uma blogueira que fala minha língua...

    ResponderExcluir
  5. ah querida eu adoro encontrar almas que conseguem encontrar delicadeza no mundo. são tão raras hoje em dia. as pessoas passam por tudo e não acham graça em nada. acho que no fundo encontrá-las é parte da gente.

    que bom que você a tem!

    beijoca

    ResponderExcluir